quarta-feira, 25 de abril de 2012

A MASSAGEM PODE SIM REDUZI DEPRESSÃO

Depressão, seja leve ou mais grave, em homens, mulheres e crianças continua a ser inexplicável, mas que é real.




Reduz o stress
Alivia a tensão muscular
Activa a circulação sanguínea
Reduz a ansiedade e irritabilidade
Alivia as dores de cabeça
Melhora a capacidade respiratória
Aumenta a concentração e criatividade
Melhora a disposição.

Assim como faz massagem afetar o humor. Quando a massagem não é uma cura a depressão, pode ajudar a diminuir os sentimentos depressivos. Um dos mais conhecidos benefícios da massagem terapêutica é a sua capacidade de aumentar a sensação de bem-estar, e estudos mostram a promessa na área da depressão. Quando você está deprimido, o cérebro produz menos neurotransmissores, como a serotonina, as endorfinas e dopamina - os hormônios se sentir bem. Embora as causas não são completamente compreendidos, um marcador fisiológico da depressão é um baixo nível do neurotransmissor serotonina. A serotonina é responsável pela transmissão de mensagens nervosas e ajuda a sustentar os sentimentos de bem-estar. Massagem libera a serotonina e endorfina. A serotonina atua como um mediador para acalmar o corpo, enquanto as endorfinas atuam como um estimulador de prazer para o cérebro.
Bem como aumentar a produção desses hormônios sentir-se bem, a massagem também ajuda a diminuir o hormônio do estresse, cortisol. Além disso, massagem terapêutica alivia a tensão e promove o relaxamento, o que leva a uma imediata e significativa redução no cortisol, às vezes por mais de 40 por cento.
Alguns sintomas da depressão são: se você estiver se sentindo triste, e este sentimento não vai embora dentro de um período razoável de tempo, sentindo-se cansado o tempo todo, ter dificuldade de concentração, experimentando sentimentos de desesperança, tem perda de interesse pela vida e as coisas você usou para desfrutar, dormir demais ou a incapacidade de dormir em tudo, comer demais ou perda de apetite, e sentimentos de vazio e irritabilidade.
Se você está se sentindo deprimido considerar recebendo uma massagem sueca ou algum tipo de massagem de relaxamento. O fluido traços suaves deste tipo de massagem realmente ajuda a acalmar a mente. Para aqueles que não têm respondido bem aos antidepressivos prescritos, existem alternativas terapêuticas que têm foram mostrados para fornecer resultados positivos no tratamento de leve a moderado grau de depressão.


sábado, 14 de abril de 2012

MASSAGEM RELAXANTE MUSCULAR( SISTEMA R$ 50,00 MUSCULAR)




FUNÇÃO DA MAQUINA
HUMANA:Função Principal:
Propiciar os movimentos.
Algumas funções secundárias:
 Nas artérias controlam o fluxo sanguíneo.
No tórax realizam movimentos respiratórios.
 No sistema digestivo agem, desde a absorção do alimento até sua excreção.
Na fonação participam no processo de emissão da voz.
 Na reprodução possibilitam a ejaculação do esperma.
 Durante a gravidez abrigam o embrião no útero (um saco muscular
Os músculos representam a parte ativa do aparelho locomotor. Existem aproximadamente 600 músculos no corpo. Desempenham funções determinadas de acordo com seu objetivo. Os músculos são feitos de fibras que se contraem quando estimulados por impulsos nervosos.
TIPOS DE MÚSCULOS
MÚSCULO ESQUELÉTICO OU ESTRIADO

Apresenta-se microscopicamente em faixas alternadas transversais, claras e escuras. Agem sob comando voluntário do cérebro produzindo movimentos dos ossos. Suas células são fibras longas e finas, dispostas em feixes. Os filamentos sobrepostos existentes no interior das células dão a esses músculos uma aparência estriada. Esses músculos são fixados aos ossos do esqueleto por meio de tendões e ligamentos, exercem força sobre os mesmos para que se movam.
MÚSCULO LISO
Esta presente nos órgãos internos, ocos e tubulares (estomago, intestino, vaso sanguíneo, bexiga urinaria, respiratório). Trabalham automaticamente para o funcionamento regular do corpo. Suas células são lisas, uninucleares, longas e estende-se em laminas em torno dos órgãos. Elas se contraem automaticamente para proporcionar movimentos lentos e ritmados que não dependem da vontade do individuo.
MÚSCULO CARDÍACO
É um músculo especializado que forma a parede do coração. Suas fibras se ramificam ao longo do comprimento. Elas se contraem automaticamente sob ritmo próprio (cerca de 70 por minuto) bombeando sangue do coração para todo o corpo. Suas células são uninucleadas, e tem contração involuntária. Único músculo que não cansa.

COMO FUNCIONAM OS MÚSCULOS?
  Ao se contrair, os músculos esqueléticos tracionam os ossos aos quais estão ligados, provocando um movimento do corpo. Os músculos não podem “empurrar” mas apenas “puxar”, por isso para cada músculo que causa movimento há outro que faz o movimento oposto. Por exemplo: um músculo flexiona sua perna e outro desfaz uma flexão. Esses músculos em pares são chamados antagonistas.
PRINCIPAIS MÚSCULOS
Orbicular dos lábios: movimenta os lábios.
 Orbicular das pálpebras: abre e fecha os olhos.
 Masseter: músculo da mastigação.
 Esternocleidomastóideo: faz a cabeça balançar para o lado.
 Escaleno: ajuda a levantar a caixa torácica, ativo na respiração do ar, no tossir e no espirrar.
 Grande peitoral: movimenta os braços na posição de dar um abraço em alguém.
 Grande denteado: faz o levantamento das costelas durante a inspiração do ar.
 Reto do abdome ou grande obliquo: formam a parede do abdome protegendo as vísceras. Na mulher ficam estendidos durante a gravidez e são importantes no chamado trabalho de parto.
Bíceps: ao se contrair, levanta o antebraço. Seu oponente é o tríceps que faz o antebraço abaixar.
 Flexor dos dedos: faz o movimento de dobrar os dedos sem fechar as mãos.
 Costureiro: faz o movimento de cruzar as pernas.
 Quadríceps crural: permite-nos esticar as pernas quando estamos sentados.
Extensor dos dedos: estica os dedos dos pés.
Tibial anterior: dobra o pe aproximando-o da perna.
 Trapézio: levanta os ombros e, juntamente com o esternocleidomastóideo participa dos movimentos da cabeça.
 Deltóide: levanta o braço para o lado. É no deltóide que são aplicadas a injeção.
 Tríceps: opõe-se ao bíceps, esticando o antebraço.
 Grande dorsal: muito ativo quando remamos, martelamos ou fazemos flexões apoiadas sobre as mãos.
 Glúteo médio e Grande glúteo: formam o que se chama de nádegas. Quando estamos de pe, esses músculos relaxam. Sua contração nos permite levantar quando estamos sentados.
Bíceps da coxa: dobra a perna para trás.
 Gastronenio (gêmeos): dobra o pe para baixo, ligando-se ao tendão de Aquiles.
Sóleo: sua contração permite-nos ficar na ponta dos pés. Muito ativo na dança, no salto, na corrida e no caminhar.
 Músculos presentes na cabeça e na face: importantes nas expressões do rosto, no soprar e no assobiar.
 Músculo diafragma: separa o tórax do abdome, responsável pela respiração.
 Músculos que movimentam os dedos das mãos: permite-nos segurar os objetos e fazer sinais.


MASSAGEM RELAXANTE ( SISTEMA CIRCULATÓRIO)




Problemas no Sistema Circulatório
que nós,
Massoterapeutas
podemos tratar:



Labirintite: Pode tratar-se de um comprometimento das Artérias Vertebrais. Fator Gerador: retificação ou inversão da Lordose Cervical (cabeça baixa – queixo próximo ao peito) podendo estar acompanhada de uma escoliose cervical. A Alteração nos Desvios do Eixo da Coluna cervical – ADEC – diminui (por estenose ostial das artérias Vertebrais) o fluxo do sangue das mesmas e da que formarão, a artéria Basilar. Da artéria Basilar ramifica-se a artéria do Labirinto, responsável pela irrigação daquele órgão (estamos considerando apenas um dos labirintos). Os canais semicirculares com suas paredes ciliadas (com inervação na base dos cílios) e cheios de “Endolinfa” necessitam da sensibilização das “esferas” de carbonato de cálcio para darem ao SNC o referencial de posição que possibilitará o “equilíbrio”. Estas esferas se deslocam pelos canais, sensibilizando os cílios em suas “paredes”, graças ao líquido ali existente (endolinfa). Quando o Labirinto fica com seu suprimento sanguíneo comprometido a qualidade da “Endolinfa” também fica. Caso este líquido perca suas propriedades, oferecendo uma mínima resistência ao deslocamento das esferas (as esferas referenciam posições sensibilizando cílios das paredes graças as leis da física que regem os corpos em inércia e movimento) o sistema de informações sofrerá um “retardo” comprometendo as funções do labirinto podendo evoluir par o que conhecemos como Labirintite.
Terapia: Espondiloterapia, Massagem Neurocirculatória e Descompressão Vertebral.
- Dores de Cabeça Occipitais: Pode tratar-se de um comprometimento das Artérias Vertebrais. Diminuição do fluxo das Artérias Vertebrais e das que formarão a Basilar com suas ramificações. Fator Gerador: retificação ou inversão da Lordose Cervical (cabeça baixa – queixo próximo ao peito) podendo estar acompanhada de uma escoliose cervical. A ADEC diminui, por estenose ostial das Artérias Vertebrais, o fluxo do sangue destas artérias e das que formarão a Artéria Basilar. Para compensar esta defasagem o SNC pode tomar duas providências: a) aumentar a pressão arterial (PA); b) aumentar o calibre dos vasos sanguíneos. Este último mecanismo acabará “empurrando” as meninges contra o crânio. Como na região occipital, existe uma sensibilização meníngea, ocorre a dor.
Terapia: Espondiloterapia, Massagem Neurocirculatória e Descompressões Vertebrais.
- Memória Fraca / Dificuldade para Concentração: Pode tratar-se de um comprometimento das Artérias Vertebrais. Fator Gerador: Retificação ou Inversão da Lordose Cervical (cabeça baixa – queixo próximo ao peito) podendo estar acompanhada de uma escoliose cervical. A Alteração nos Desvios do Eixo da Coluna cervical – ADEC – diminui (por estenose ostial das artérias Vertebrais) o fluxo do sangue das mesmas e da que formarão, a artéria Basilar. A defasagem circulatória implica, entre outras coisas, num comprometimento da correta oxigenação do SNC. Caso o restabelecimento do fluxo sanguíneo não ocorra à carência de oxigênio pode levar a uma alteração de ondas cerebrais periodizando a que tenha como característica uma vasodilatação, ondas alfa, as presentes no estado Parassimpático. Quando isto ocorre o paciente oscila entre períodos de “alerta” e “sonolência”. Neste “quadro” as informações recebidas não fazem uma “marca“ suficientemente “profunda” para serem lembradas. O paciente refere Memória Fraca. A concentração, o pensamento neste estado tende “fugir”, o que é descrito como Dificuldades Para a Concentração.
Terapia: Espondiloterapia, Massagem Neurocirculatória e Descompressão Vertebral.
 Câimbras: Espasmo muscular que ocorre devido há uma desnutrição das células formadoras da fibra muscular. Sobrevém de uma saturação do meio por resíduos (catabólicos) não removidos em razão de uma deficiência circulatória.
Terapia: Espondiloterapia, Massagem Neurocirculatória, Descompressão Vertebral e Drenagem Linfática Propeli.
 Trombose: Entende-se por trombose a formação de um coágulo no interior de um vaso sanguíneo. Para que isso ocorra, são necessárias peculiares condições patológicas: Diminuição da velocidade do sangue; Lesão do endotélio (tecido que reveste o interior do aparelho circulatório); Alteração da composição do sangue. Em alguns casos a trombose não provoca sintomas, outras vezes, o trombo obstrui um vaso, impedindo a chegada de sangue nos tecidos, formando, portanto, um enfarto que, é particularmente grave quando atinge o coração, o pulmão ou o cérebro.
Terapia: Drenagem Linfática Propeli.
 Varizes: Dilatação das paredes venosas motivada por estase sangüínea e por diminuta resistência da parede das veias. Atinge geralmente os membros inferiores e predomina no sexo feminino depois ou durante a evolução da gravidez. Os sintomas são: aparecimento de cordões subcutâneos azulados, sensação de peso nos membros, edemas.
Terapia: Drenagem Linfática Propeli.
Hematomas: Acumulo de sangue no tecido provocado por extravasamento ou por lesões dos vasos. Quase sempre é de origem traumática, porém pode surgir espontaneamente durante a evolução de algumas doenças que provocam a fragilidade vascular.
Terapia: Drenagem Linfática Propeli.
Edema: Aumento de líquido nos tecidos ou nas cavidades corpóreas, proveniente dos vasos sangüíneos; forma-se segundo um dos seguintes mecanismos: aumento da pressão exercida pela água (pressão hidrostática) no interior dos vasos ou sua diminuição no exterior; diminuição de proteínas no plasma ou seu aumento no líquido intersticial; aumento da permeabilidade dos capilares.
Terapia: Drenagem Linfática Propeli.
Celulite: Sedimentação da gordura em adipósito superficial que tem como fator gerador deficiência na circulação periférica.
Terapia: Drenagem Linfática Propeli

MASSAGEM PARA LOMBALGIA





O termo lombalgia não especifica as causas. Refere-se as dores e desconforto na região lombar que podem ser leves ou agudas. A situação mais indicada para a massagem é de rigidez dos músculos envolvidos na postura, inclinações e torções.
Os subprodutos da atividade muscular são principalmente dióxido de carbono e ácido lático e que devem ser incluídos na circulação sanguínea. Quando os músculos são utilizados em excesso esses subprodutos acumulam-se em volta dos músculos e irritam as terminações nervosas. A massagem terapêutica ajuda a retirar estes detritos, e assim, diminuir a rigidez e a dor. Em casos de excesso de líquidos, pode-se também realizar as manobras de drenagem linfática.
Pode-se usar óleo de semente de uva com lavanda, camomila e manjerona. Estas essências possuem efeitos analgésicos.
Com o paciente deitado em decúbito ventral (barriga para baixo) experiente colocar uma almofada no abdômen para aumentar o conforto.
Os pontos que destacaria por serem de relativa facilidade de eficácia são:
Massagem de deslizamento na região dorsal, altura do cóxi em direção ao pescoço.
Faça também massagem perto da coluna em direção a região lateral.
Deslizamentos com o polegar no sentido das fibras são também muito eficazes principalmente nos para vertebrais e quadrado lombar. E para terminar, acupressão nos pontos da bexiga sem esquecer dos forames sacrais.
Os pontos reflexos no pé também podem ajudar na recuperação. Tenha um bom mapa de reflexo
 logia para auxiliá-lo.
Precauções são necessárias pois as lombalgias podem ser ocasionadas por problemas renais, hérnia de disco, distensão muscular e que produzem também dor intensa no local. Nestas situações, deve-se procurar a ajuda médica.




A coluna vertebral é um conjunto de 33 ossos curtos e superpostos que recebem o nome de vértebras. Constitui a estrutura básica do esqueleto, pois sustenta a cabeça e o tronco. Além disso, protege a medula espinhal, importante componente do sistema nervoso.

7 – vértebras cervicais

12 – vértebra torácicas – dorsais

5 – vértebras lombares

5 – vértebras sacras – sacro

3 –5 – vértebras coccígenos – cóccix

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

O QUE É ANORGASMIA (ENTENDENDO UM POUCO MAIS A MULHER

Anorgasmia significa ausência de orgasmo feminino. E, de maneira alguma deve ser considerado como uma doença física ou algo parecido.
Negar a anorgasmia é a primeira atitude defensiva para muitas mulheres. O fato é que entre 60 e 70% mas mulheres têm dificuldade ou incapacidade de chegar ao clímax na relação. No qual, a grande maioria mente, fingindo o que não sentiram. Esse quadro assustador não retrata o passado muito distante, quando as mulheres deveriam prestar submissão aos maridos e qualquer manifestação de prazer numa relação sexual era condenável. Os números são atuais e indicam que a maioria das mulheres tem anorgasmia.
O que causa isso?
As causas têm diversas origens, que pode ser desde abuso ou violência sexual durante a infância até a falta de intimidade com o parceiro. Sendo a educação rígida, a falta de conhecimento do próprio corpo, o estresse e a rotina no relacionamento, fatores que muito contribuem para a anorgasmia.
O que fazer?
Essa parece ser uma barreira muito grande pra se vencer, não é? Para tentar romper essa barreira, é preciso ter muito diálogo com o parceiro. Falar o que você sente, como gostaria que fosse, orienta-lo na maneira mais adequada para te acariciar, dar um retorno para seu parceiro sobre o que você mais gostou ou gosta que ele faça com você na relação. Assim, ele poderá explorar o que mais te agrada e ter um melhor desenho. Isso no mínimo irá amadurecer mais o relacionamento e aumentará a intimidade entre os dois. Não irá contribuir para vencer essa barreira se você preferir fazer uma simulação. Ou seja, suspirar, gemer, fazer com que a respiração fique intensa, tudo para fingir um orgasmo, isso só vai prolongar o problema. Será através de diálogos que você conseguirá. Por outro lado, seu parceiro tem papel um papel muito importante para essa conquista; no qual cabe a ele ter paciência, compreensão e dedicação para com você. Para o homem, muitas vezes, isso é um papel muito difícil. Podendo gerar nele um sentimento de incapacidade, "eu não consigo fazer minha parceira gozar", o que também deve ser trabalhado com ele.
Você se conhece intimamente?
Para transformar a relação sexual numa experiência que agrade aos dois, é preciso que ela (e ele também) diga quais são seus pontos mais erógenos. Mas como fazer isso se você não se conhece bem? Não sabe quais pontos no seu corpo dão mais prazer. Pois bem, então mão a obra: Descobrir que seu corpo pode te dar muito prazer, será fantástico, experimente. Na verdade muitas mulheres não gostam de acaricia-se, não se sentem bem, ou não tem vontade.
Certa vez, uma moça disse para mim que não conseguia gozar. Eu perguntei se ela se tocava, se conhecia seus pontos mais erógenos, se ela se masturbava. As respostas foram negativas. E disse mais, "...não me sinto bem ao me tocar." Depois de muitos diálogos ela disse que sentiu vontade de se acariciar, e que assim o fez. "Foi muito gostoso, mas não consegui gozar ainda, ". Depois de um tempo, ao nos encontrarmos, ela disse que já conseguia gozar ao se masturbar, que para ela isso era uma grande conquista.
Assim como aprendemos a andar, ler, dirigir, comer, nós também aprendemos a atingir o orgasmo. Ninguém nasce sabendo gozar! O que ocorre para muitos, é esse aprendizado ser de uma maneira muito natural, enquanto para outros se faz necessário um percurso maior.
Cada pessoa tem seu desenvolvimento de acordo com seu ritmo.
Algumas pessoas são vítimas de violência e ou abuso sexual, outras têm uma criação muito rígida, outras cobram, exigem muito de si mesma, outras algum tipo de trauma, e muitas questões anorgasmias estão associadas a baixa-estima, no qual esses e outros fatores podem contribuir para algum bloqueio na questão sexual de cada um.

ANORGASMIA




a cada 100 mulheres que buscam tratamento, 70 afirmam que não conseguem ter orgasmos.
Antes, a relação sexual tinha como objetivo a satisfação masculina. Hoje, apesar de muitos tabus sexuais terem sido derrubados, ainda é grande o número de mulheres que sofrem na cama. Mitos e conceitos equivocados sobre o orgasmo, ou melhor, sobre a sexualidade de forma geral, sempre estiveram presentes em nossa cultura, onde a mulher deveria ser um ser assexuado, sem desejo, sem tesão, à disposição do outro.
Hoje foi descoberto que o orgasmo independe da região que o desencadeia, podendo ser provocado pelo estímulo de qualquer região do corpo. Houve tempo em que se acreditava existirem dois tipos de orgasmos: o clitoriano e o vaginal.
Atualmente, se percebe uma busca descontrolada pelo orgasmo, que passou a ser o objetivo único de uma relação, esquecendo-se o prazer do relacionamento, de estar com determinada pessoa. Praticar sexo é uma escolha; ter prazer, uma possibilidade. Essa obrigatoriedade infundada na busca do prazer-gozo e não pelo prazer de estar vivenciando tal situação, tira a pessoa do contato com a relação, passando a ser mera espectadora.
Conceito
A anorgasmia é a dificuldade em atingir o orgasmo, mesmo que haja interesse sexual e todas as outras respostas satisfatórias para a realização do ato. Ocorre com freqüência entre as mulheres – estudos indicam que seria entre 50 e 70% dos casos. Ou seja, a mulher aproveita as carícias e se excita, mas algo a bloqueia no momento do orgasmo.
Muitas mulheres negam a ausência do orgasmo como uma forma de defesa. Assim, mentem, fingindo um prazer que não existe. Tal comportamento deve ser repensado, pois ao fingir para si própria, ela está se privando da obtenção de um prazer e da possibilidade de desvendá-lo por completo.
Além disso, a anorgasmia pode trazer conseqüências negativas. A mulher pode adquirir aversão sexual devido a realização de sexo sem prazer, e sem conseguir adequada lubrificação para o ato, pode ocorrer dor na relação.

A mulher não possui, como o homem, um ciclo sexual definido constituído por excitação, ereção, ejaculação e orgasmo. Ela pode ter desejo, mas mesmo assim, não chegar ao orgasmo. Mas, é preciso ressaltar, que a mulher quer ser amparada, acolhida. Dessa forma, o sexo pode satisfazê-la sem que chegue ao orgasmo
Etiologia
Dentre os fatores que levam a tal quadro, destaca-se de forma praticamente integral os aspectos psicossociais. A questão orgânica tem baixa relevância, ficando em torno de 5% dos casos.

Psicossociais: falsas crendices, falta de informação, tabus, religião, estrutura de valores que supervaloriza a sexualidade e o desempenho sexual, medo de ser abandonada ou engravidar, experiências traumáticas (inclusive obstétricas), falta de intimidade com o próprio corpo e/ou com o parceiro, inexperiência, falta de tempo ou de um local adequado, auto-exigência exacerbada, envelhecimento, culpa, ansiedade, depressão, tensão corporal, educação sexual castradora, desinteresse, insatisfação corporal, baixa auto-estima, excesso de contenção, dificuldade do cotidiano e dificuldade de estar inteira, tranqüila e a vontade no contato com o outro no momento da relação sexual, entre outros.
Orgânicas: algumas doenças, disfunções hormonais, uso imoderado de álcool ou drogas psicoativas e dores na relação.
Outras causas dizem respeito à má-formação congênita - que pode impedir o acesso ao clitóris -, hipertrofia dos pequenos lábios – que pode encobrir o acesso à vagina-, entre outras.
Tratamento
O enfoque principal é a disfunção, devendo-se fazer uma leitura do conflito, a fim de saber se existe alguma dificuldade emocional ou psicológica, ou se o problema é físico.
O objetivo é combater a ansiedade existente, desmistificando crenças falsas, e trabalhando os aspectos psicológicos que não permitem um completo funcionamento corporal. Propõe-se que a mulher tome ciência dos seus impulsos sexuais, de modo ajudá-la, sem a obrigação do orgasmo, a liberar emoções e viver a espontaneidade de sentir prazer. Para tanto, a psicoterapia pode estar baseada numa terapia individual, terapia de casal ou, ainda, no conjunto dos dois processos.
A terapia individual objetiva criar condições para ampliar o autoconhecimento e possibilitar o prazer consigo mesma, a partir de um aprendizado sobre como é construído tal sintoma. Ou seja, o que esse quadro tem a contar sobre a pessoa, sobre a sua forma de funcionar na relação e com o meio. É na terapia, portanto, que se revê falsos conceitos e se fornece orientação, possibilitando novas perspectivas, admitindo-se sua associação a exercícios e, muito raramente, ao uso de medicação.
A terapia de casal objetiva facilitar a comunicação do mesmo, além de mediar um conhecimento maior sobre o funcionamento da relação, ajudando a descobrir, entre outros fatores, de que forma o casal interage em sua vida cotidiana, e como isto se reflete na dinâmica sexual.
Muito freqüentemente, a mulher passa a ter maior curiosidade sobre o próprio corpo. Faz-se importante que ela se conheça, se toque, saiba do que gosta e o que não lhe agrada. E, essencialmente, pedir ao parceiro que a “acenda”. Através do auto-conhecimento, a auto-estima pode ser resgatada. Essa é uma forma de descobrir o caminho para que se possa fazer sexo sem mitos e transformá-lo em algo natural, sem ter medo de gostar de sexo e do que o parceiro vai achar disso.
A mulher precisa dar importância à sua sexualidade, tocar o seu corpo e descobrir o que lhe dá prazer, dizendo ao parceiro o que ela precisa, o que está faltando e se interessando em saber o que ele gosta. O orgasmo é uma conquista, sexo é comunicação e entrega.
A sexualidade e a forma que a mulher se relaciona com ela é produto de eventos que, aparentemente, nada têm a ver com sexo. Assim, a superação de um quadro como esse leva ao aprendizado e ao autoconhecimento, provocando transformações além da sexualidade. Atingir o orgasmo é elemento de um processo de crescimento que dura a vida toda.

Tanto nos casos orgânicos como nos psicológicos, a terapia é indicada. Por mais que a origem seja somente orgânica, ela pode estar interferindo, poluindo as outras esferas do seu contato com o parceiro. Dessa forma, a maioria do universo feminino pode se favorecer com a reeducação sexual, já que muitas não aprenderam a se aceitar e se conhecer.


ANORGASMIA

  

Pesquisas recentes revelam 50% das mulheres já fingiram um orgasmo. No Brasil, os números são do Datafolha, segundo levantamento divulgado em 2010. Para especialistas, o número real pode ser ainda maior. “Uma boa parte das mulheres – pelo menos uma vez na vida – já fingiu. Isso é fato se você considerar que 30% das brasileiras nunca chegaram ao orgasmo a mulher deixa aflorar um lado materno na relação sexual: “Fingem como uma forma de proteger o parceiro ou se sentem envergonhadas”, diz ela.
Uma encenação ocasional não é problema, “Às vezes a pessoa finge uma vez para resolver uma situação, porque está cansada ou não viu alternativa. Fingir sistematicamente é que é um problema”, alerta o especialista. Nesses casos é preciso investigar quais os motivos psicológicos ou físicos que estão impedindo o gozo. Para o ginecologista, é possível que as mulheres finjam mais em alguns períodos ou momentos de vida.
Os dois especialistas concordam que dizer a verdade é o melhor caminho não só para a relação, mas para a mulher. “O orgasmo deveria ser exposto quando acontece e quando não acontece. E se não está querendo sexo, melhor falar e não transar” as mulheres acham que precisam estar sempre disponíveis para o parceiro, o que leva ao sexo sem vontade em alguns momentos. Ou seja, em vez de falar a verdade, muitas mulheres arrumam uma falsa dor de cabeça ou um falso orgasmo.
o orgasmo é muito enfatizado socialmente e, embora seja uma descarga energética positiva,
“O importante é sair satisfeito dos encontros sexuais, se sentindo bem. Por outro lado, quem nunca tem orgasmos pode ficar insatisfeito, porque nascemos com essa capacidade sexual”


quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

EJACULAÇÃO PRECOCE



Faça da Ejaculação Precoce Uma Coisa do Passado para Que Ela Saiba que Você é um Homem de Verdade!

Busque na massoterapia as técnica propiás e seja feliz.

A Ejaculação Precoce ou Prematura (EP) é um dos problemas sexuais mais freqüentes nos homens e nos casais, sendo responsável por 40% das queixas encontradas em consultório de terapeutas sexuais. Acontece que a EP é um lugar comum na juventude, em encontros com parceiros novos ou após algum tempo de abstinência. Quando se estende pela maturidade e se torna presente em mais da metade dos encontros sexuais, torna-se, aí sim, um problema crônico e um Transtorno Sexual.
Existe tratamento, tanto medicamentoso quanto psicoterápico. A primeira linha de tratamento é a reorientação e a reeducação do homem ou do casal quanto à função sexual normal. Clareiam-se as situações em que se considera como "normal" o tempo de ejaculação mais curto ou insatisfatório (comum em jovens, com novos parceiros, ou após longa abstinência). Quando a EP se torna persistente, ou seja, aparece em mais da metade dos encontros sexuais, um tratamento mais específico se faz necessário.
A segunda linha terapêutica é o chamado tratamento cognitivo-comportamental. Constitui-se em uma série de exercícios e tarefas para serem realizadas em casa para controle do tempo de ejaculação. Seguem-se alguns exemplos meramente ilustrativos:
De qualquer forma, esta disfunção sexual tem bom prognóstico, ou seja, apresenta bons índices de cura para a grande maioria dos indivíduos que procura orientação especializada. Geralmente, seis a dez sessões são suficientes para a melhora da vida sexual do homem e do casal.

PROBLEMAS NO CASAMENTO



Quais são as Causas da Impotência ?







Causas psicológicas:
  Ansiedade
Depressão
  Fadiga
  Culpa
  Stress
  Problemas maritais
  Problemas financeiros
  Ansiedade por desempenho
 Excessivo uso de álcool e drogas

Há três câmaras separadas no pênis normal: duas câmaras eréteis interconectadas, chamadas corpo cavernoso, que ocupam o volume do pênis, e a uretra, um tubo que pode conduzir tanto a urina como o sêmen. As câmaras eréteis ficam anexadas ao osso púbico e se estendem da parte abdominal para a porção visível do pênis. Essa âncora ajuda a manter o pênis rígido quando as câmaras ficam cheias de sangue. Cada câmara erétil é formada por um tecido parecido com uma esponja que se enche de sangue durante a fase de excitamento.     O sangue fica preso no pênis, aumentando e endurecendo
A ereção pode se iniciar  com a massagem e estimulação e com os bloqueios
 Estímulo psicológico  e com o controle da da respiração
Estímulo físico toque da genitália masculina de maneira suave
O sistema nervoso atua no cérebro com pensamentos e desbloqueios  enquanto outro centro, na coluna vertebral reage ao toque. Ambos o massoterapeuta e o paciente atuam em conjunto para produzir a ereção como um auto reflexo que é auxiliado pelo hormônio masculino, a testosterona. Dessa pequena descrição da fisiologia da ereção, pode-se ver que qualquer problema que afete o cérebro, a espinha, as terminações nervosas do pênis, as artérias penianas, os corpos esponjosos, as veias do pênis ou a produção da testosterona podem atrapalhar uma ereção normal
 

Causas Psicológicas

Quando isso ocorre, muitas vezes, a simples solução do problema que está preocupando o homem permite que o seu desempenho sexual volte a ser normal. Caso isto não ocorra, pode ser necessário procurar ajuda junto a um psicólogo.um massoterapeuta Quando se trata de um problema físico, entretanto, é necessário e indispensável o auxílio de um médico

Causas físicas: Podem ser de origem arterial diminuição do aporte sangüíneo aos corpos cavernosos, neurogênicas algum problema que afete a medula ou a inervação periférica do pênis ou mesmo efeito colateral de medicamentos que podem promover além de disfunções eréteis, distúrbios da libido ou disfunções ejaculatórias como são apresentadas no item Distúrbios da Ereção.

Álcool - Em pequenas doses pode servir de estimulante do desejo sexual mas, em alta quantidade começa a apresentar efeitos danosos à ereção pois os músculos entram em processo interno de relaxamento. a massagem tântrica fortalece e vitaliza a anatomia peniana.

Fumo – O tabagismo é fator de risco para desenvolvimento de arteriosclerose nas artérias pudentas e penianas comuns em pacientes jovens com oito vezes mais finas que as artérias coronáriaso que dizer de uma artéria de seis a oito vezes mais fina, além de provocar uma vasconstrição sobre as artérias. por iso é idicado as massagem pois estimula a circulação do sangue

Colesterol - O aumento de colesterol, decorrente de altas doses de gordura na alimentação também causa a obstrução da circulação do pênis levando à impotência.
Drogas - As drogas, tais como Maconha, Crack, Cocaína, etc., acarretam de forma sensível a parte sexual do indivíduo. Há uma enorme redução da parte circulatória da região peniana, levando o indivíduo a ter problemas sérios de ereção

Impotência como efeito colateral de medicamentos para Pressão, Depressão, Diuréticos etc. - Grande parte dos medicamentos utilizados nestes tratamentos pode acarretar problemas de ereção. Uma vez que os medicamentos não podem ser suspensos, há necessidade de se tratar os efeitos colaterais dos mesmos. Isso felizmente é tranqüilo devido à grande evolução dos tratamentos para Impotência. Também drogas para problemas cardiovasculares, Parkinson, psicotrópicos, anfetaminas e alguns hormônios podem causar esse efeito colateral

Efeito colateral de Cirurgias e Traumas - A cirurgia de próstata pode ter como conseqüência o problema da Impotência Sexual. Não ocorre em todos os casos de cirurgia, mas em grande parte deles. O que se faz é tratar do problema de Impotência usando um dos inúmeros recursos hoje disponíveis, estando inclusive alguns apresentados neste site. Não há, portanto o que se temer

Impotência Resultante de Traumas - Um trauma em qualquer porção da região pélvica ou da coluna pode resultar em impotência, pois, no diafragma urogenital encontramos diversos nervos frágeis e artérias que suprem o pênis. nesses distúrbios de ereção.
Podemos citar
  Traumatismos crânio-encefálico
  Cirurgias no cérebro
 Laminectomia lombar
  Lesão medular
  Linfadenectomia retroperitoneal sem preservação de nervos
  Aneurismectomia da aorta abdominal
  Cirurgias radicais para câncer do intestino e geniturinárias
O índice de violência atual, com inúmero disparo de balas perdidas tem, sem dúvida alguma, contribuído para o aumento do número de pacientes com algumas das lesões anteriormente descritas.

Problemas Hormonais – Algumas doenças, como problemas nos rins ou no fígado podem causar uma alteração hormonal, o qual controla as ereções. Baixos índices de testosterona também podem ser um fator agravante.
Problemas neurológicos – Lesões na coluna, defeitos congênitos tais como medula espinal bífida, tumores ou aumento da pressão no crânio e doenças musculares tais como esclerose múltipla podem levar à Disfunção Erétil

COMO CONTRIBUIR PARA UMA VIDA SAUDÁVEL PARA COM SEU BEM ESTAR

  Evitar o fumo e o excesso de álcool
  Controle alimentar, evitando gorduras e colesterol na dieta
  Exercício físico regular evitando-se o sedentarismo
  Combater a obesidade
  Controle rigoroso de diabetes
  Observar a possibilidade de a disfunção ser efeito colateral de algum medicamento que o paciente tenha que tomar, e se for, verificar com seu médico se há a possibilidade de substituir esse medicamento por outro sem tal efeito
  Combate à depressão e uma boa massagem pra relaxa faz parte seu corpo agredece





































































































































QUANDO A EREÇÃO PREJUDICA???



Não deve existir um homem sequer que não se preocupe em conseguir uma ereção. Afinal, nada é pior do que broxar na hora H. Sim, este é um dos maiores pesadelos masculinos. Mas muitos não sabem que o contrário, e em excesso, pode ser um problemão e tanto. A dificuldade de controlar uma ereção, que pode ocorrer de forma indesejada e durar muito mais que o esperado, tem um nome e é uma doença. Trata-se do priapismo.

O problema é caracterizado por uma ereção que dura mais de quatro horas, não é despertada pelo desejo sexual, mas por disfunções orgânicas. Causa dores e alguns outros inconvenientes fáceis de imaginar. Ao notar o problema, que atinge de um a três homens em cada 100 mil, o ideal é buscar um médico o quanto antes, para evitar que a situação se agrave, podendo causar até impotência. O nome da doença é inspirado no Deus grego Priapo, filho de Afrodite, conhecido pelo seu falo longo e ereto. Quer saber mais? O urologista  respondeu a 10 questões sobre a doença.

1) Quais são as causas do problema, existe alguma situação em que a doença se manifesta mais comumente (como não voltar à flacidez depois do orgasmo) ou ela vem de repente, sem nada que a estimule?
O problema pode ser ocasionado por doenças hematológicas, como a anemia falciforme e a leucemia, que dificultam a drenagem do sangue. O uso de medicamentos antidepressivos, de drogas como cocaína e o álcool, de injeções para estimular a ereção – vasodilatadores utilizados no tratamento da disfunção erétil, como a prostaglandina – ou até mesmo um trauma sobre o pênis também podem provocar a ereção prolongada e indesejada que caracteriza o mal. Em alguns casos, no entanto, o priapismo pode aparecer sem que se consiga apontar uma causa que o justifique.

2) Como é o tratamento? Tem cura?
O tratamento mais comum é aplicar injeções de medicamentos específicos no pênis, para provocar o fechamento dos vasos sanguíneos. Também fazemos drenagem e lavagem do corpo cavernoso – tecido erétil do pênis, tentando restabelecer a condição de flacidez. Em último caso, recorremos à cirurgia. A cura é perfeitamente possível.

3) A ereção prolongada pode acontecer uma única vez ou é um problema recorrente?
Não costuma ser recorrente, pode acontecer esporadicamente. De qualquer forma, é fundamental contar com acompanhamento médico tão logo seja detectado o sintoma.

4) O uso de medicamentos para disfunção erétil ¿ como o Viagra -, sem prescrição médica, pode levar ao priapismo?
As descrições na literatura são mínimas, e o risco, muito baixo. A associação de vários medicamentos diferentes tem mais relação com o aparecimento do problema.

5) Qual a incidência do problema? Ele acomete jovens também?
Sim. O mal afeta homens de todas as idades. A prevalência, entre a população masculina brasileira, é de um a três casos em cada 100 mil homens.

6) O priapismo pode levar à impotência?
Sim. Sem o tratamento adequado, o mal pode evoluir para uma fibrose do tecido erétil. Daí a importância de procurar um médico o mais rápido possível.

7) O problema pode desencadear doenças mais graves, além da impotência?
Não. Mas pode ser o primeiro sinal de uma doença hematológica, como a anemia falciforme ou a leucemia.

É hereditário ou transmissível?
Não.

9) Existe diferença física entre uma ereção normal e a do priapismo? É possível aproveitar a ereção para manter a atividade sexual por várias horas seguidas?
O priapismo não está associado a uma rigidez da glande. Normalmente, é apenas o corpo cavernoso que fica ereto. Por isso, é possível que se note uma pequena diferença na aparência do pênis. O problema também costuma provocar muita dor e, nessa situação, é impossível ter uma relação sexual.

10) Durante quanto tempo o problema pode persistir?
O quadro pode perdurar por vários dias, mas o ideal é que o atendimento médico seja imediato. Se a ereção se mantiver por mais de seis horas, já é sinal de que a intervenção clínica é necessária.

mas que já tem outros meios como as técnicas da massoterapia 
bem menos agressivo do aplicação de injeções entre outros medicamentos 

sábado, 21 de janeiro de 2012

LINGAM MASSAGEM R$150,00

video


A Lingam Massagem é um método excepcional para a cura de Ejaculação Precoce, Impotência, dificuldade em atingir o orgasmo e ausência ou baixa de libido.Traz consciência e aumenta a sensibilidade genital e revela e dissolve bloqueios e traumas psicológicos e emocionais que podem esta inibindo o fuxo,Na Lingam Massagem, o trabalho é focado, superdimensionado e intensificado no Pênis (Lingam). É importante frisar que estas manipulações genitais são técnicas que nada tem a ver com a masturbação, e sim com estímulos profundamente estudados e pesquisados, especificamente aplicados com o objetivo de aumentar o aspecto sensorial da região genital, proporcionando um tipo de prazer e estados alterados de percepção e consciência nunca experimentados nas manipulações usuais masturbatórias ou sexuais. .desperta a consciência da bioeletricidade Potencializa as ondas de prazer orgasmos secos e múltiplos com ou sem ejaculação  O orgasmo ejaculatório embora este possa ser um agradável o efeito desta manipulação.Com a freqüência deste estímulo, os homens obtêm um salto imenso em sua sensibilidade sensorial e intensidade do prazer, experimentando múltiplos e sucessivos orgasmos secos (não-ejaculatórios)   fortalece e vitaliza a anatomia genitais..,.aumento do tempo na sustentação da ereção, maior flexibilidade e aumento do pênis
extensão e largura:  Proporcionar prazer através do Toque, do Movimento, do pensamento e da respiração e atua principalmente no desenvolvimento da vitalidade.  Neste nível, ocorrem descargas energéticas indescritíveis, revelando uma potencialidade orgástica impressionante e inimaginável    Ajuda no tratamento da ejaculação precoce, disfunção e rétil – Impotência  aumenta o nivel de libido


Queda no nível de testosterona pode diminuir a libido dos homens


 
Queda do hormônio testosterona em homens, principalmente depois dos 50 anos, gera distúrbio que leva à depressão, ansiedade, sonolência e falta de apetite sexual
A queda na produção da testosterona ocorre, em geral, a partir dos 40 anos, com perda entre 1% e 2% do hormônio total disponível por ano. Muitas vezes, os sintomas são confundidos com estresse profissional ou pessoal. Cerca de 20% dos homens apresentam esse problema

YONI MASSAGEM R$150,00





video
 


A Yoni Massagem é um método excepcional para a cura da Anorgasmia (ausência de orgasmo), dificuldade em atingir o orgasmo, ausência ou baixa de libido, ausência, perda ou diminuição de sensibilidade clitoriana e vaginal e Vaginismo (contração involuntária dos músculos próximos à vagina, dificultando ou até impedindo a penetração pelo pênis na relação sexual, com presença de dor).

Na Yoni Massagem, o trabalho é focado, super dimensionado e intensificado na Vagina (Yoni). É importante frisar que estas manipulações genitais são técnicas que nada tem a ver com a masturbação, e sim com estímulos profundamente estudados e pesquisados, especificamente aplicados com o objetivo de aumentar o aspecto sensorial da região genital, proporcionando um tipo de prazer e estados alterados de percepção e consciência nunca experimentados nas manipulações usuais masturbatórias ou sexuais.

Neste nível, ocorrem descargas energéticas indescritíveis, revelando uma potencialidade orgástica impressionante e imaginável. Ocorrem orgasmos múltiplos, sem declínio do prazer

Com a Yoni Massagem, o ganho na qualidade do prazer é excepcional, muito além da experiência sexual que as mulheres em geral possuem através das manipulações usuais do clitóris e da vagina. Ocorre uma grande ruptura e mudança de paradigmas com relação ao prazer e com a forma de lidar com o corpo. O foco é a cuidadosa massagem de todo o órgão genital feminino, incluindo a virilha, a vulva, os lábios internos e externos (também conhecidos como 'pequenos' e 'grandes' lábios), o clitóris e, internamente, o Ponto G no canal da vagina (G-Spot, a Glândula de Grafenberg), permitindo o desfrute de diferentes formas de prazer, cumulativas e progressivas.

Ocorre então uma alteração substancial na estrutura sensorial do clitóris, que modifica significativamente situações ligadas ao prazer e ao orgasmo contínuo. A mulher vai aos poucos se abrindo e se entregando com confiança, ultrapassando e eliminando medos, culpas e repressões e passa a experimentar orgasmos perenes e de vale (orgasmos que emendam um ao outro, sem queda do clímax). Muito freqüentemente, a mulher também descobre seu potencial ejaculatório, também acompanhado de intenso prazer.